Vinicius Júnior, Casemiro e Fabinho são indicados à Bola de Ouro 2022;

0
Vinícius Júnior marcou na final da Liga dos Campeões - Foto: Friedemann Vogel
Spread the love

Goleiros Alisson e Ederson concorrem no Troféu Yashin, enquanto brasileiras não estão no páreo na categoria feminina

A France Football divulgou nesta sexta-feira, 12, os indicados para a tradicional premiação Bola de Ouro 2022, marcada para acontecer em 17 de outubro deste ano.

Na categoria de melhor jogador, a revista francesa selecionou 30 nomes, mas deixou duas grandes estrelas de fora: Lionel Messi e Neymar, ambos do Paris Saint-Germain – o argentino é o atual vencedor e detém sete taças, recorde na história do prêmio.

Vinicius Júnior e Casemiro, campeões da Champions League como o Real Madrid, e o volante Fabinho (Liverpool) são os brasileiros que concorrem no masculino. Eles disputarão com Karim Benzema (Real Madrid/França), Thibaut Courtois (Real Madrid/Bélgica), Rafael Leão (Milan/Portugal), Christopher Nkunku (RB Leipzig/França), Mohamed Salah (Liverpool/Egito), Joshua Kimmich (Bayern de Munique/Alemanha), Trent Alexander-Arnold (Liverpool/Inglaterra), Bernardo Silva (Manchester City/Portugal), Luís Diaz (Liverpool/Colômbia), Robert Lewandowski (Barcelona/Polônia), Heung-Min Son (Tottenham/Coreia do Sul), Riyad Mahrez (Manchester City/Argélia), Mike Maignan (Milan/França), Harry Kane (Tottenham/Inglaterra), Darwin Núñez (Liverpool/Uruguai), Phil Foden (Manchester City/Inglaterra), Sadio Mané (Liverpool/Senegal), Cristiano Ronaldo (Manchester United/Portugal), Sébastien Haller (Borussia Dortmund/Portugal), Luka Modrić (Real Madrid/Croácia), Antonio Rüdiger (Chelsea/Alemanha), Kevin De Bruyne (Manchester City/Bélgica), Kylian Mbappé (PSG/França), Dušan Vlahović (Juventus/Sérvia), Virgil van Dijk (Liverpool/Holanda), João Cancelo (Manchester City/Portugal) e Erling Haaland (Manchester City/Noruega).

No feminino, mesmo com o título da seleção brasileira na Copa América, nenhuma representante do país está no páreo.

As indicadas foram: Selma Bacha (Lyon/França), Lucy Bronze (Manchester City/Inglaterra), Kadidiatou Diani (PSG/França), Christiane Endler (PSG/Chile), Alexandra Popp (Wolfsburg/Alemanha), Aitana Bonmatí (Barcelona/Espanha), Wendie Renard (Lyon/França), Alex Morgan (San Diego/EUA), Beth Mead (Arsenal/Inglaterra), Asisat Oshoala (Barcelona/Nigéria), Marie-Antoinette Katoto (PSG/França), Millie Bright (Chelsea/Inglaterra), Trinity Rodman (Washington Spirit/EUA), Sam Kerr (Chelsea/Áustria), Katarina Macario (Lyon/EUA), Vivianne Miedema (Arsenal/Holanda), Lena Oberdordf (Wolfsburg/Inglaterra), Alexia Putellas (Barcelona/Espanha), Fridolina Rolfo (Barcelona/Suécia) e Ada Hegerberg (Lyon/Noruega).

O Brasil, por outro lado, terá dois representantes na disputa pelo Troféu Yashin, que congratula o melhor goleiro do ano. Alisson (Liverpool) e Ederson (Manchester City) estão na disputa com Thibaut Courtois (Real Madrid/Bélgica), Yassine Bounou (Sevilla/Marrocos), Mike Maignan (Milan/França), Edouard Mendy (Chelsea/Senegal), Manuel Neuer (Bayern de Munique/Alemanha), Jan Oblak (Atlético de Madrid/Eslovênia), Kevin Trapp (Eintracht Frankfurt/Alemanha), Hugo Lloris (Tottenham/França).

Já no Troféu Kopa, entregue ao melhor jogador sub-21, o país de destaque foi a Alemanha, que emplacou três nomes entre os dez finalistas. Os concorrentes são: Karim Adeyemi (Borussia Dortmund/Alemanha), Jude Bellingham (Borussia Dortmund/Inglaterra), Eduardo Camavinga (Real Madrid/França), Gavi (Barcelona/Espanha), Ryan Gravenberch (Bayern de Munique/Holanda), Nuno Mendes (PSG/Portugal), Jamal Musiala (Bayern de Munique/Alemanha), Joško Gvardiol (RB Leipzig/Croácia), Bukayo Saka (Arsenal/Inglaterra) e Florian Wirtz (Bayer Leverkusen/Alemanha).

Realizada desde 1956, a premiação Bola de Ouro foi cancelada apenas uma vez: em 2020, por causa da pandemia do novo coronavírus. Até 1995, o troféu era entregue somente para futebolistas de nacionalidades europeias.

Em 2006, no entanto, a France Football promoveu outra mudança: passaram a ser incluídos jogadores que atuassem fora do futebol europeu, em qualquer parte do mundo. Entre os anos de 2010 e 2015, vale lembrar, o prêmio foi unificado com o troféu de melhor do mundo dado pela Fifa – atualmente, as premiações são separadas.

O último vencedor foi o argentino Lionel Messi, que tornou-se o maior ganhador da premiação, com sete taças: 2009, 2010, 2011, 2012, 2015, 2019 e 2021. O craque “hermano” igualou Pelé em números de troféus da prestigiada premiação – o brasileiro, vale lembrar, não ganhou no período em que desfilava nos gramados.

Ainda assim, em 2015, a revista francesa fez uma revisão de todos os seus prêmios anteriores com base nas regras atuais e reconheceu: o Rei teria sete Bolas de Ouro, sendo elas em: 1958, 1959, 1960, 1961, 1963, 1965 e 1970.

Na categoria feminina, existente desde 2018, a atual campeã é a espanhola Alexia Putellas, do Barcelona. Antes dela, haviam recebido o prêmio a norueguesa Ada Hegerberg (2018) e a norte-americana Megan Rapinou (2019).

Em março deste ano, vale lembrar, a France Football anunciou quatro mudanças impactantes na Bola de Ouro. Criticada pelos critérios adotados na última eleição, a revista francesa informou que os votantes terão que levar em consideração o período da temporada europeia (entre agosto e julho), e não mais o ano letivo – Desta forma, por exemplo, a edição de 2022 não leva em conta o desempenho dos atletas na Copa do Mundo do Catar, que acontecerá entre novembro e dezembro. Além disso, até a última edição, a France Football colhia votos de jornalistas de 170 países.

Agora, no entanto, somente os profissionais de nacionalidade dos 100 melhores países no ranking da Fifa (e dos cinquenta, no caso do futebol feminino) poderão participar do processo.

Para definir melhor os critérios e “evitar ambiguidades”, o veículo de comunicação também informou que o desempenho individual de um jogador será mais decisivo do que a obtenção de títulos coletivos a nível de clubes ou de seleções.

Por fim, a preparação das listas de candidatos passou a ser algo exclusivo da France Football, mas conta com a participação de Didier Drogba , embaixador da Bola de Ouro, e dos eleitores da última edição que estiveram mais perto de obter o resultado final certo. Via JP

Sobre o Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *