Rússia retira jornal das bancas após estampar Navalny em sua capa
Rússia retira jornal das bancas após estampar Navalny em sua capa

A Rússia retirou das bancas quase todos os exemplares do Sobesednik, o primeiro jornal do país que estampou em sua capa a imagem do líder opositor Alexei Navalny, cuja morte há cinco dias em uma prisão foi atribuída ao Kremlin por sua família, a oposição e o Ocidente.

“Tudo isso é muito sério e até um pouco assustador para nós. Por que eles o apreenderam? Não sabemos. Não infringimos nenhuma lei”, declarou Yelena Milchanovskaya, jornalista do semanário, ao canal de Telegram SotaVision.

O exemplar com a foto de Navalny, que a Agência EFE conseguiu adquirir, desapareceu dos estandes de vendas das redes Pressa e Pechat.

Segundo o portal Meduza, em um dos pontos o vendedor explicou a um cliente que recebeu a ordem “para não vender aquele número”.

Por sua vez, Michanovskaya afirmou ter recebido telefonemas com insultos e ameaças de leitores que não gostaram da capa.

O Sobesednik, jornal fundado na época soviética (1984), já tinha perdido muitos contratos publicitários desde o início da campanha militar russa na Ucrânia, há dois anos, ao que se deve acrescentar que as autoridades mantêm bloqueado o acesso ao seu site.

“Ainda há esperança!”, afirmava a capa do semanário que foi colocado à venda esta semana com uma grande fotografia de Navalny sorrindo e acenando na primeira página. Nas páginas internas, o jornal reúne informações sobre a morte do opositor e as acusações da viúva, Yulia Navalnaya, contra o presidente russo, Vladimir Putin.

Além disso, publica comentários de cidadãos russos e imagens de várias pessoas depositando flores em sua memória por todo o país.

A imprensa e a televisão russas, controladas pelo Estado, ignoraram completamente a morte de Navalny, com exceção do jornal econômico RBC.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.