Padrasto e mãe de bebê morta asfixiada no litoral de SP são condenados a 27 anos de prisão | Santos e Região

0

Segundo o TJ-SP, o Conselho de Sentença reconheceu a materialidade e a autoria do crime de homicídio. Desta forma, o juiz Guilherme Pinho Ribeiro, que presidiu o júri na quarta (17) e quinta-feira (18), informou que foram reconhecidas quatro qualificadoras: feminicídio; utilização de meio que dificultou a defesa da vítima; emprego de asfixia e tortura; e vítima menor de14 anos.

Sobre o Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *