Incentivo ao turismo internacional pode injetar US$ 25 milhões na economia, projeta governo

0
O SEU JORNAL

Propostas representam adição de mais de 70 mil assentos em voos internacionais até março de 2025. Novos trajetos conectam Brasil a destinos da América do Sul e Europa O governo federal prevê uma movimentação de US$ 25 milhões com os primeiros projetos contemplados pelo programa de incentivo ao turismo internacional.
Segundo dados da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), os três projetos representam adição de 70.222 assentos em voos internacionais, entre 27 de outubro deste ano e 29 de março de 2025.
Base aérea de Canoas abre para voos comerciais, no RS
Os três projetos são das empresas aéreas Azul e Latam, e do aeroporto de Guarulhos, em pareceria com a companhia Ibéria.
A Embratur apresentou os dados nesta terça-feira (11), em evento com o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, a ministra interina do Turismo, Ana Clara Machado, e o presidente da Embratur, Marcelo Freixo.
Os projetos preveem:
voo da Latam conectando Lima (Peru) ao aeroporto de Curitiba (PR)
voo da Azul conectando Assunção (Paraguai) ao aeroporto de Viracopos (SP)
voo da Ibéria, em proposta enviada pelo GRU Airport (Aeroporto de Guarulhos), para a ampliação de frequência de 7 para 14 voos semanais da rota que conecta o terminal a Madrid, na Espanha.
As iniciativas foram selecionadas no âmbito do Programa-piloto de Aceleração do Turismo Internacional (Pati). O programa tem o objetivo de promover o Brasil nos mercados internacionais.
Por meio do Pati, as empresas aéreas e os aeroportos podem submeter projetos de novos voos e ter acesso aos fundos e campanhas.
Em sua primeira etapa, o Pati contou com R$ 1,6 milhão do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC). As empresas aéreas, por sua vez, estão investindo R$ 4,8 milhões.
A Embratur recebeu 123 propostas no período entre 20 de março e 17 de maio, sejam de novos voos ou aumento de frequência de voos existentes. Dessas, foram selecionados os três projetos, cujos termos foram assinados nesta terça-feira (11).
Recorde de receita
Durante pronunciamento no evento, Freixo afirmou que os quatro primeiros meses deste ano representam um recorde em relação a 2023, , em termos de receita gerada pelo turismo internacional.
“Esses quatro primeiros meses [de janeiro a abril de 2024] são recorde em relação ao ano passado já. De janeiro a abril, está 24% maior do que no de 2023, que foi o ano recorde de todos os tempos no que diz respeito à receita com o turismo internacional”, declarou.
“Esse projeto contou com R$ 1,6 milhão do Fnac [Fundo Nacional da Aviação Civil]. A ideia original era um para um, para que a gente pudesse dobrar esse valor no investimento da promoção, e esse valor foi três vezes maior [de investimento privado em relação ao público]. Sinal que existe uma relação de confiança entre esses atores”, seguiu.
Ainda segundo Freixo, os dados do setor de inteligência apontam que as iniciativas que resultaram na criação de mais de 70 mil novos assentos tem representado um efeito “muito positivo na economia brasileira”.

Sobre o Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *