Em três semanas, número de casos de dengue aumenta 58,7% em Limeira

0

[ad_1]


Cidade soma 1.584 confirmações da doença em 2024 e quatro mortes. Amostras com larvas do mosquito transmissor da dengue recolhidas em Limeira
Divulgação/ Prefeitura de Limeira
Limeira (SP) registrou um aumento de 58,7% nos casos de dengue entre 1º e 22 de abril. A cidade começou o mês com 998 confirmações da doença. Nesta segunda-feira (22), quando houve nova atualização da situação epidemiológica, já somava 1.584 registros.
📲 Acesse a nova comunidade do g1 Piracicaba e receba notícias no WhatsApp
A Secretaria Municipal de Saúde informou que 2.882 casos suspeitos ainda estão sob investigação e 1.379 suspeitas já foram descartadas.
A cidade não registrou mortes pela dengue na última semana e permanece com quatro.
“Em Limeira, o combate ao Aedes aegypti – mosquito transmissor da dengue – é permanente. A Secretaria de Saúde reforça a importância de a população reservar 10 minutos por semana para eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, uma vez que o foco da doença está, principalmente, nos quintais das residências”, informou, em nota.

Mortes pela doença
A última morte registrada na cidade foi confirmada no dia 8 de abril. A vítima é uma mulher de 44 anos. Confira informações sobre os óbitos na cidade:
04/03: Mulher, 83 anos
18/03: Mulher, 53 anos
01/04: Homem, de 88 anos
08/04: Mulher, de 44 anos
🏥Sintomas e atendimento
Os principais sintomas são: febre alta, dor de cabeça, prostração (fraqueza, abatimento, moleza), dores musculares e/ou articulares e dor atrás dos olhos.
Em Limeira, em caso de qualquer sintoma, a orientação é buscar as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) Jardim Aeroporto e Parque Hipólito, além da UPA 24 horas do Abílio Pedro. Essas unidades funcionam de segunda a domingo, sem interrupções.
Como evitar a dengue🦟
Veja algumas das orientações da Saúde para evitar a dengue:
Utilizar repelente, principalmente em lugares fechados;
Eliminar focos de água parada;
Manter os pratos de vasos de flores e plantas com areia até a borda;
Guardar garrafas com a boca virada para baixo;
Limpar sempre as calhas dos canos;
Não jogar lixo em terrenos baldios;
Colocar o lixo sempre em sacos fechados;
Manter baldes e caixa d’água devidamente tampados e piscinas com colocação de cloro;
Não deixar acumular água em pneus;
Furar latas de alumínio antes de serem descartadas para não acumular água;
Lavar bebedouros de aves e animais pelo menos uma vez por semana;
Em caso de suspeita da doença, entrar em contato imediatamente com a unidade de saúde mais próxima da residência e jamais utilizar medicação por conta própria.
VÍDEOS: Tudo sobre Piracicaba e região
Veja mais notícias da região no g1 Piracicaba

[ad_2]

Sobre o Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *