Dengue: Campinas imuniza 14% do público-alvo e reforça importância da vacinação; veja quem pode tomar

0

Doses estão disponíveis para crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos. Das 18 mil recebidas, 13 mil foram aplicadas em dois meses. Vacina contra a dengue está disponível para crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos em Campinas (SP)
Fernanda Sunega
Dois meses após receber o lote com 18 mil doses da vacina contra a dengue, Campinas (SP) segue com o imunizante disponível nos 68 centros de saúde. A aplicação é exclusiva para crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos e a Secretaria de Saúde reforça a importância da vacinação.
🔔 Participe do canal do g1 Campinas no WhatsApp
A estimativa é que a metrópole tenha 91,2 mil moradores nesta faixa etária, mas até o momento apenas 14,4% procurou e recebeu a proteção.
“É importante que os pais e responsáveis pelas crianças e adolescentes se conscientizem sobre a importância da vacinação. A dose é segura e importante para evitar sintomas graves de dengue”, explica Chaúla Vizelli, coordenadora do programa municipal de imunização.
💉 Segundo a Secretaria de Saúde, foram aplicadas 13.182 doses até segunda (10). Uma plataforma da prefeitura permite a busca por unidade. Clique aqui.
🔻 Qual é o esquema vacinal?
De acordo com o Ministério da Saúde, o esquema vacinal do imunizante é de duas doses, com intervalo de 90 dias entre elas.
📆 Precisa de agendamento?
Não. Os centros de saúde atendem conforme a demanda.
📑 O que precisa levar?
A Secretaria de Saúde orienta a apresentação de documento de identidade com foto. Além disso, é recomendado levar a caderneta de vacinação, se tiver.
Pior epidemia
Campinas vive a pior epidemia de dengue de sua história, com 106,5 mil casos confirmados e 37 mortes pela doença – as duas últimas, confirmadas nesta terça (11).

⚠️ Sinais de alarme para o agravamento
A Secretaria de Saúde recomenda aos moradores que, caso apresentem febre, procurem centros de saúde “imediatamente para diagnóstico clínico” e não banalizem os sintomas ou façam automedicação.
Embora a dengue não tenha um medicamento específico, há uma série de medidas clínicas que podem evitar o agramento e óbito, se feitas a tempo. Por isso, é preciso ficar atento aos sinais de alarme. São eles:
Dor abdominal
Muitos vômitos
Algum sinal de sangramento (gengiva, por exemplo)
Menstruação em maior volume, no caso das mulheres
Sensação de desmaio
Segundo a Diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Andrea Von Zuben, o agravamento da dengue, diferente de outras doenças, acontece depois que a febre começa a diminuir. Sendo assim, caso apresente algum sinal, o paciente deve procurar uma unidade de saúde.
“Quem estiver com suspeita ou dengue confirmada e apresentar sinais de tontura, dor abdominal muito forte, vômitos repetidos, suor frio ou sangramentos deve buscar o quanto antes por auxílio em pronto-socorro ou em UPA”, orienta.
De acordo com Andrea, um ponto que faz a pessoa com dengue ter um desfecho favorável é conseguir beber a quantidade de líquido prescrita, que são 60 ml por quilo de peso, “Isso é em qualquer líquido e um terço disso em sais de hidratação oral”, alertou.
Orientações à população
🌡️ A dengue causa febre alta e repentina, dores no corpo, manchas vermelhas na pele, vômito e diarreia, resultando em desidratação.
🚨 Ao apresentar algum desses sintomas, o morador deve procurar uma das unidades de saúde da cidade para atendimento médico, segundo a Secretaria de Saúde.
Como saber se você está com dengue e se é grave
Algumas medidas de prevenção são:
utilize telas de proteção com buracos de, no máximo, 1,5 milímetros nas janelas de casa;
deixe as portas e janelas fechadas, principalmente nos períodos do nascer e do pôr do sol;
mantenha o terreno limpo e livre de materiais ou entulhos que possam ser criadouros;
tampe os tonéis e caixas d’água;
mantenha as calhas limpas;
deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
mantenha lixeiras bem tampadas;
deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
limpe todos os acessórios de decoração que ficam fora de casa e evite o acúmulo de água em pneus e calhas;
coloque repelentes elétricos próximos às janelas (o uso é contraindicado para pessoas alérgicas);
velas ou difusores de essência de citronela também podem ser usados;
evite produtos de higiene com perfume porque podem atrair insetos;
retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.
VÍDEOS: tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no g1 Campinas

Sobre o Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *