Com ou sem Douglas? Meia vai de indispensável a possível reserva em um mês – 11/02/2016
Com ou sem Douglas? Meia vai de indispensável a possível reserva em um mês – 11/02/2016

Douglas era indispensável. O Grêmio tratou como prioridade sua renovação de contrato. Venceu as sondagens do futebol chinês e firmou acordo com o camisa 10. Mas um mês depois, as chegadas de Henrique e Miller Bolaños tornam o posto do armador muito ameaçado. E a torcida escolheu ele para deixar o time e se acomodar ao menos um dos novos reforços.

Não é difícil perceber a opinião dos gremistas. Manifestações em redes sociais, às emissoras de rádio que fazem enquetes e até mesmo em partidas do Tricolor. Douglas é o mais cotado para a entrada de Miller e, até antes, de Henrique.

Mesmo que nenhum deles tenha a mesma função do jogador. Miller disse, em sua chegada, que pode atuar como meia pelas pontas ou até atacante. Não falou em armador centralizado. Em suas características estão o poder de concluir de dentro e fora da área, o drible, a velocidade, mas nem tanto a criação de oportunidades.

Henrique, por sua vez, é centroavante. Gosta de atuar centralizado e como último homem, perto do rival do gol. Não passa nem perto do armador clássico que é Douglas.

Mas a saída do meio é imaginada de duas formas. Com Miller, Giuliano seria centralizado, Everton mantido na esquerda e Luan como centroavante. Tal ideia evitaria de mexer nos posicionamentos de Everton e Luan, que tem se destacado neste começo de ano, daria mais velocidade ao tempo com Giuliano e ainda o poder de concluir de Bolaños.

Contando com a entrada de Henrique, Luan seria recuado para a função de Douglas. “Já fiz todas as funções do meio para frente e posso ajudar onde for preciso”, garantiu o jogador.

Douglas, de fato, não teve destaque nos jogos que fez até agora. Chegou a marcar seu primeiro gol em 2016 diante do Coritiba pela Primeira Liga, mas ainda assim é o mais cotado para deixar o time.

Curiosamente, o fato repete o ocorrido no ano passado. O camisa 10, ex-Corinthians, começou o ano da mesma forma, tentou para recuperar o melhor condicionamento físico, chegou a ser vaiado e discutir com torcedores e tinha posto questionado quando Felipão comandava o tempo. Mas bastou Roger chegar e os resultados aparecerem para ele virar indispensável ao elenco.

Novamente o quadro se apresenta e talvez pela demora para conseguir a melhor forma o jogador pode perder espaço. Mas como agora a competição é mais forte, sair do tempo pode ser a senha para não mais voltar, ao menos com tanta segurança como titular.

Os titulares do Grêmio têm último teste antes da estreia na Libertadores nesta sexta-feira, diante do São José, em Porto Alegre. Como Bolaños ainda não tem condições de jogo, Douglas tem, por enquanto, posto garantido na equipe.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.