Campinas confirma mais dois óbitos e chega 37 mortes por dengue em 2024

0

Vítimas são uma mulher de 35 anos e um homem de 83 anos. Cidade vive pior epidemia da história, com 106,5 mil casos confirmados. Campinas vive a pior epidemia de dengue de sua história
Reprodução/EPTV
A Secretaria Municipal de Saúde de Campinas (SP) confirmou nesta terça-feira (11) mais duas mortes por dengue, elevando o número de óbitos pela doença para 37 em 2024.
🔔 Participe do canal do g1 Campinas no WhatsApp
Entre as vítimas está uma mulher de 35 anos e um homem de 83 anos, os dois com histórico de comorbidades. Os dois vieram a óbito entre 3 e 6 de maio.
“A Pasta lamenta as mortes e se solidariza com as famílias. O desfecho óbito depende de fatores como procura precoce por atendimento, manejo clínico adequado e fatores individuais do paciente, como doenças preexistentes. Não há relação direta com a oscilação de casos, embora a Saúde registre, neste momento, tendência de redução da transmissão diante da diminuição das temperaturas desde a segunda quinzena de maio”, destaca, em nota, a Secretaria de Saúde.
A cidade enfrenta a maior epidemia de sua história, e contabiliza 106,5 mil casos. Veja números:

Sinais de alarme para o agravamento
A Secretaria de Saúde recomenda aos moradores que, caso apresentem febre, procurem centros de saúde “imediatamente para diagnóstico clínico” e não banalizem os sintomas ou façam automedicação.
Embora a dengue não tenha um medicamento específico, há uma série de medidas clínicas que podem evitar o agramento e óbito, se feitas a tempo. Por isso, é preciso ficar atento aos sinais de alarme. São eles:
Dor abdominal
Muitos vômitos
Algum sinal de sangramento (gengiva, por exemplo)
Menstruação em maior volume, no caso das mulheres
Sensação de desmaio
Segundo a Diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Andrea Von Zuben, o agravamento da dengue, diferente de outras doenças, acontece depois que a febre começa a diminuir. Sendo assim, caso apresente algum sinal, o paciente deve procurar uma unidade de saúde.
“Quem estiver com suspeita ou dengue confirmada e apresentar sinais de tontura, dor abdominal muito forte, vômitos repetidos, suor frio ou sangramentos deve buscar o quanto antes por auxílio em pronto-socorro ou em UPA”, orienta.
De acordo com Andrea, um ponto que faz a pessoa com dengue ter um desfecho favorável é conseguir beber a quantidade de líquido prescrita, que são 60 ml por quilo de peso, “Isso é em qualquer líquido e um terço disso em sais de hidratação oral”, alertou.
LEIA TAMBÉM:
Dengue: Campinas registra alta de 1.388% nos exames de sangue em postos de saúde
Dengue em Campinas: áreas dos CSs Valença e União de Bairros lideram em casos, mas epidemia registra infectado até na cadeia
Dengue: Campinas atinge pico da epidemia e se aproxima de marca histórica; entenda
Histórico de mortes
As vítimas por dengue em Campinas são:
Homem, 43 anos: atendido na rede pública e morador da área de abrangência do CS Pedro Aquino. Ele não tinha comorbidade, apresentou sintomas em 13 de março e o óbito ocorreu em 17 de março.
Mulher, 84 anos: atendida na rede privada de saúde e moradora da área de abrangência do CS Santos Dumont. Ela tinha comorbidades, apresentou sintomas em 7 de março e o óbito ocorreu em 12 de março.
Menina, 10 anos: atendida na rede pública e saúde e moradora da área de abrangência do CS Fernanda. Ela tinha comorbidades, apresentou sintomas em 1º de abril e o óbito ocorreu em 5 de abril.
Mulher, 39 anos: atendida na rede pública e moradora da área de abrangência do Centro de Saúde (CS) União de Bairros. Ela apresentou sintomas em 24 de fevereiro e o óbito ocorreu em 2 de março. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 2.
Mulher, 91 anos: atendida na rede privada de outro município e moradora da área de abrangência do CS Santo Antônio. Ela teve sintomas em 24 de janeiro e o óbito foi em 30 de janeiro. O sorotipo não foi identificado no exame.
Homem, 63 anos: atendido na rede pública e morador da área de abrangência do CS Vista Alegre. Ele apresentou sintomas em 8 de março e o óbito foi em 13 de março. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 1.
Mulher, 89 anos: atendida na rede privada e moradora da área de abrangência do CS Sousas. Ela teve sintomas em 10 de março e o óbito ocorreu em 14 de março. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 1.
Homem, 72 anos: atendido na rede pública e morador da região do Centro de Saúde União dos Bairros. Apresentou os primeiros sintomas em 27 de fevereiro e o óbito ocorreu em 3 de março. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 2 da dengue.
Homem, 94 anos: atendido na rede privada e morador da região de abrangência do Centro de Saúde Integração. Ele apresentou sintomas em 10 de fevereiro e o óbito ocorreu em 15 de fevereiro. O sorotipo não foi identificado no exame.
Mulher, 86 anos: atendida na rede privada e moradora da região de abrangência do Centro de Saúde DIC III. Ela apresentou sintomas em 11 de fevereiro e o óbito foi em 15 de fevereiro. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 2.
Mulher, 94 anos: moradora do Jardim Eulina, região da cidade com maior incidência de casos da doença. A vítima iniciou sintomas em 30 de janeiro e foi atendida na rede privada, sendo que veio a óbito no dia 12 de fevereiro. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 1.
Mulher, 73 anos: moradora da área de abrangência do CS 31 de Março. Tinha comorbidades e foi atendida na rede privada. Os sintomas começaram em 10 de março e a morte ocorreu em 4 de abril. Infectada pelo sorotipo 1.
Homem, 99 anos: morador a área de abrangência do CS Sousas. Tinha comorbidades e foi atendido na rede privada. Os sintomas começaram em 8 de março e a morte ocorreu no dia 28 do mesmo mês. O sorotipo não foi identificado no exame.
Mulher, 50 anos: moradora da área de abrangência do CS DIC 3. Não tinha comorbidades e foi atendida na rede pública. Os sintomas começaram em 18 de março e a morte ocorreu no dia 21 do mesmo mês. Infectado pelo sorotipo 2.
Mulher, 74 anos: moradora da área de abrangência do CS Costa e Silva. Tinha com comorbidades e foi atendida na rede privada. Teve início dos sintomas em 25 de março e morreu em 28 do mesmo mês. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 1.
Homem, 83 anos: morador da área de abrangência do CS Taquaral. Tinha comorbidades e foi atendido na rede privada. Teve início dos sintomas em 3 de abril e morreu no dia 8 do mesmo mês. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 3.
Homem, 88 anos: Foi atendido na rede privada e era morador da área de abrangência do CS Barão Geraldo. Tinha comorbidades e teve início dos sintomas em 23 de março e morreu em 29 do mesmo mês. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 1.
Homem, 57 anos: Foi atendido na rede pública e morava na área de abrangência do CS Itajaí. Não tinha comorbidade e teve início dos sintomas em 5 de abril e morreu no dia 10 do mesmo mês. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 2.
Homem, 90 anos: Foi atendido na rede privada e era morador da área de abrangência do CS Sousas. Tinha comorbidade e teve início dos sintomas em 21 de março e morreu em 29 do mesmo mês. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 1.
Homem, 59 anos: Foi atendido na rede pública e morava na área de abrangência do CS União de Bairros. Não tinha comorbidade e teve início dos sintomas em 9 de abril e morreu no dia 13 do mesmo mês. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 2.
Homem, 66 anos: tinha comorbidades, foi atendido na rede pública e era morador da área de abrangência do CS DIC III. Ele teve início dos sintomas em 24 de março e o óbito ocorreu no dia 30 do mesmo mês. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 2.
Mulher, 48 anos: não tinha comorbidade, foi atendida na rede pública e era moradora da área de abrangência do CS Santa Lúcia. Ela teve início dos sintomas em 12 de abril e o óbito ocorreu em 17 do mesmo mês. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 2.
Mulher, 90 anos: Tinha comorbidades, foi atendida na rede pública e era moradora da área de abrangência do CS Conceição. Ela teve início dos sintomas em 12 de março e o óbito ocorreu em 18 do mesmo mês. Foi confirmada infecção pelo sorotipo 2.
Mulher, 24 anos, sem comorbidade. Atendida na rede pública e moradora da área de abrangência do CS Aeroporto. Ela teve início dos sintomas em 30 de abril e o óbito ocorreu em 4 de maio.
Homem, 86 anos, com comorbidades. Atendido na rede privada e morador da área de abrangência do CS 31 de Março. Ele teve início dos sintomas em 22 de março e o óbito ocorreu em 4 de abril.
Homem, 87 anos, com comorbidades. Atendido na rede privada e morador da área de abrangência do CS Taquaral. Ele teve início dos sintomas em 6 de abril e o óbito ocorreu no dia 15 do mesmo mês.
Homem, 75 anos, com comorbidades. Atendido na rede privada e morador da área de abrangência do CS Valença. Ele teve início dos sintomas em 2 de abril e o óbito ocorreu no dia 4 do mesmo mês.
Homem, 90 anos, com comorbidades. Atendido na rede pública e morador da área de abrangência do CS São Bernardo. Ele teve início dos sintomas em 29 de abril e o óbito ocorreu em 4 de maio.
Homem, 75 anos, com comorbidades. Atendido na rede privada e morador da área de abrangência do CS Vila Ipê. Ele teve início dos sintomas em 12 de abril e o óbito ocorreu no dia 22 do mesmo mês.
Homem, 84 anos, com comorbidades. Atendido na rede privada e morador da área de abrangência do CS Eulina. Ele teve início dos sintomas em 12 de março e o óbito ocorreu em 2 de abril.
Sexo feminino, 30 anos, sem comorbidade. Atendida na rede pública, era gestante e moradora da área de abrangência do CS DIC I. Ela teve início dos sintomas em 16 de abril e o óbito ocorreu em 23 do mesmo mês.
Sexo masculino, 62 anos, sem comorbidade. Atendido na rede pública e morador da área de abrangência do CS Tancredo Neves. Ele teve início dos sintomas em 21 de abril e o óbito ocorreu em 24 do mesmo mês.
Sexo masculino, 17 anos, com comorbidades. Atendido na rede pública e morador da área de abrangência do CS Lisa. Ele teve início dos sintomas em 6 de abril e o óbito ocorreu em 11 do mesmo mês.
Sexo feminino, 79 anos, com comorbidades. Atendida na rede privada e moradora da área de abrangência do CS Paranapanema. Ela teve início dos sintomas em 4 de maio e o óbito ocorreu em 9 do mesmo mês.
Sexo masculino, 91 anos, com comorbidades. Atendido na rede privada e morador da área de abrangência do CS Barão Geraldo. Ele teve início dos sintomas em 15 de abril e o óbito ocorreu em 24 do mesmo mês.
Sexo feminino, 35 anos, com comorbidades. Atendida na rede pública e moradora da área de abrangência do CS Floresta. Ela teve início dos sintomas em 28 de abril e o óbito ocorreu em 3 de maio.
Sexo masculino, 83 anos, com comorbidades. Atendido na rede pública e morador da área de abrangência do CS Lisa. Ele teve início dos sintomas em 30 de abril e o óbito ocorreu em 6 de maio.
🔻Orientações à população
🌡️ A dengue causa febre alta e repentina, dores no corpo, manchas vermelhas na pele, vômito e diarreia, resultando em desidratação.
🚨 Ao apresentar algum desses sintomas, o morador deve procurar uma das unidades de saúde da cidade para atendimento médico, segundo a Secretaria de Saúde.
Como saber se você está com dengue e se é grave
Veja algumas das medidas de prevenção:
utilize telas de proteção com buracos de, no máximo, 1,5 milímetros nas janelas de casa;
deixe as portas e janelas fechadas, principalmente nos períodos do nascer e do pôr do sol;
mantenha o terreno limpo e livre de materiais ou entulhos que possam ser criadouros;
tampe os tonéis e caixas d’água;
mantenha as calhas limpas;
deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
mantenha lixeiras bem tampadas;
deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
limpe todos os acessórios de decoração que ficam fora de casa e evite o acúmulo de água em pneus e calhas;
coloque repelentes elétricos próximos às janelas (o uso é contraindicado para pessoas alérgicas);
velas ou difusores de essência de citronela também podem ser usados;
evite produtos de higiene com perfume porque podem atrair insetos;
retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.
VÍDEOS: tudo sobre Campinas e Região
Veja mais notícias da região no g1 Campinas

Sobre o Autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *