Ataque jihadista mata 40 pessoas em Burkina Faso
Ataque jihadista mata 40 pessoas em Burkina Faso
Seif Magango, das Nações Unidas, apontou em comunicado que terroristas atacaram uma base militar, casas e campos de deslocados internos na cidade de Djibo, na região do Sahel| Foto: Reprodução/YouTube/Human Rights Measurement Initiative

Pelo menos 40 pessoas foram mortas no último domingo (26) em
um novo ataque da organização jihadista Grupo de Apoio ao Islã e aos Muçulmanos
(JNIM) no norte de Burkina Faso, informou nesta terça-feira (28) o escritório
do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

“Um grande número de combatentes do JNIM atacou uma base
militar, casas e campos de deslocados internos na cidade de Djibo, na região do
Sahel, matando pelo menos 40 civis e ferindo mais de 42”, disse o porta-voz do
ACNUDH, Seif Magango, em comunicado.

O ACNUDH, que se disse “chocado com a matança”, afirmou que “os
ataques a civis são imperdoáveis e devem cessar”, e exigiu que “os responsáveis
sejam levados à Justiça após investigações completas, imparciais e
independentes por parte das autoridades”.

O governo burquinense ainda não comentou o número de civis
mortos no ataque, mas a agência de notícias estatal, a Burkina Information
Agency (AIB), informou que “cerca de 3 mil criminosos tentaram tomar Djibo no
domingo”.

De acordo com a agência, o Exército, que lutou por várias
horas contra os agressores, matou mais de 400 terroristas.

Desde 2015, vários grupos jihadistas, ligados tanto à Al
Qaeda quanto ao Estado Islâmico, se estabeleceram no norte de Burkina Faso,
onde atacam constantemente a população local.

O país também sofreu dois golpes de Estado no ano passado (em 24 de janeiro e 30 de setembro), em meio ao descontentamento da população e do Exército com os ataques terroristas, e mais de 2 milhões de pessoas foram deslocadas.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.